Home > Destaque > Surfistas paulistas pedem destituição de presidente da SPSurf

Surfistas paulistas pedem destituição de presidente da SPSurf

por | jun 19, 2024 | Destaque | 0 Comentários

Uma campanha iniciada no último final de semana e divulgada pelo Instagram, demonstrou a insatisfação de alguns atletas diante de decisões da Federação do Estado de São Paulo (SPSurf), que tem como presidente José Paulo Neves Ferreira, também conhecido como Zé Paulo.

Fundada em 2020, a Federação passou a substituir a antiga FPSurf. Em matéria publicada no site WAVES, uma ação promovida pelo então presidente da ASS, Associação Santos de Surf, motivou decisão judicial impedindo operações, diante da constatação de diversas irregularidades, inclusive a incapacidade da antiga federação da época em operar financeiramente. 

Desde então a Federação do Estado de São Paulo é a entidade máxima com relação ao que diz respeito às competições da modalidade.

A campanha atual, acabou acendendo antigos casos deflagrados a partir de desentendimentos entre a Federação e outras entidades. Em fevereiro do ano passado (2023), por exemplo, a CBsurf, liderada por Teco Padaratz, foi alvo de questionamentos diante da ausência de etapas no Estado de S.Paulo, que conta com vasta tradição e três dos quatro campeões mundiais (Gabriel Medina, Filipe Toledo e Adriano de Souza).

Na época a CBsurf se posicionou a respeito (leia a nota aqui).

Atualmente, a insatisfação de atletas e responsáveis de atletas gira em torno da ausência de comunicação que, de acordo com eles, tem gerado inúmeros prejuízos.

“A nossa insatisfação é com a falta de organização, planejamento, decisões unilaterais, falta de auxílio às equipes de base, profissionais e todas as modalidades. Criou-se um circuito de base paralelo ao Hang Loose, dobrando os custos dos atletas. Não há, como diz no estatuto, um campeonato profissional. Não temos etapa de nenhum evento nível nacional”, declara um responsável que prefere não se identificar.

A campanha surge após a Federação anunciar duas etapas em Ilha Comprida, região de tradição em inúmeras esferas, porém, com pouca representatividade no surf.

“Já tivemos uma etapa cancelada duas vezes (Circuito Colegial que seria em Santos), mesmo depois de aberta as inscrições, acarretando em prejuízos. Como se não bastasse, cancelam uma etapa a quatro dias do evento ocorrer, quando metade dos atletas já estava no local da competição. Agora duas etapas do mesmo circuito na cidade onde ele (Zé Paulo) reside.”

Em nota, enviada ao site Origem Surf, a Federação comunica:

A Seleção de Surf de base do Estado de São Paulo  é a mais premiada em títulos por equipes no cenário nacional. Só na atual gestão, desde fevereiro de 2020, quando a Federação de Surf do Estado de São Paulo – SPSurf foi criada, fortalecemos ainda mais a base paulista e conquistamos mais três título consecutivos por equipes, além de vencermos a primeira etapa do circuito deste ano de 2024, e somos expressivos em pódios com títulos individuais.  Todo o trabalho realizado até o momento foi sem dinheiro público, apenas por meio de recursos privados para eventos, conquistados pela Instituição.

Após quatro anos isentando nossos atletas de qualquer taxa, a Federação iniciou a cobrança de filiação, visando fortalecer ainda mais a estrutura e as oportunidades para os surfistas paulistas. Esse passo é fundamental para garantir a sustentabilidade da Instituição e o crescimento do esporte no estado.

Além disso, desde que obtivemos a aptidão para receber verbas por meio de incentivo, estamos trabalhando arduamente na documentação necessária para captar esses recursos. Nosso objetivo é direcionar esses incentivos para contemplar ainda mais as categorias de base, promover o profissional, entre outras categorias e continuar investindo no futuro do surf no Estado de São Paulo.

Já realizamos a primeira etapa do Circuito de Categorias de Base na Praia da Baleia, onde tivemos aproximadamente 200 atletas inscritos e vamos dar início na segunda etapa do circuito e abertura de mais um, o Colegial de Surf neste mês de julho, em Ilha Comprida. 

A SPSurf reafirma seu compromisso com o desenvolvimento e crescimento do surf em todas as suas categorias. E, enquanto as verbas não são contempladas, continuaremos a trabalhar para proporcionar as melhores condições para nossos atletas, promovendo eventos de alto nível para garantir que o estado de São Paulo mantenha-se sua posição de destaque no surf brasileiro.

Atenciosamente,

Federação de Surf do Estado de São Paulo

spsurf
SPSurf Estudantil etapa Itanhaém / Foto Erik Medalha
Sobre o autor

Origem Surf

Janaína Pedroso surfa há 21 anos. É formada em Comunicação Social/Jornalismo, com especialização em Roteiro para TV, Teatro e Cinema. Já atuou como apresentadora com passagens pela Globo, Band e CNT e como repórter para Editora Trip. Atualmente divide seu tempo entre a maternidade, o surfe, a produção de textos e à frente da empresa de comunicação Origem Press.

Postagens relacionadas
Layback Pro Prainha é a próxima atração da WSL no Rio

Layback Pro Prainha é a próxima atração da WSL no Rio

O Layback Pro Prainha, quarta etapa da temporada 2024/2025 da WSL South America, ocorre de 11 a 14 de julho na Prainha, Rio de Janeiro. Com transmissão ao vivo pelo site da liga, a etapa marca o sétimo campeonato promovido pela marca Layback, desde 2021. Laura Raupp e...

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

inscrição feita!

Pin It on Pinterest