Home > Destaque > 7 curiosidades sobre o Pipeline Masters

7 curiosidades sobre o Pipeline Masters

por | jan 30, 2023 | Destaque

1. O Pipeline Masters foi criado por Fred Hemmings, em 1971;

2. O primeiro evento foi patrocinado por uma companhia aérea, a Continental Airlines, que investiu mil dólares em premiação;

3. Apenas seis surfistas foram convidados a competir o primeiro Pipeline Masters, que consistia em uma única bateria; 

4. O havaiano Jeff Hakman venceu a primeira edição e recebeu 500 dólares pela vitória;

5. Gerry Lopez deu WO; aparentemente, o prodígio havaiano da época foi enganado por Corky Carroll, da Califa, que disse a Lopez, que o evento havia sido adiado;

6. Adriano de Souza foi o primeiro brasileiro a vencer o Pipeline Masters, em 2015

7. Kelly Slater venceu 8 vezes o evento; seu primeiro título foi em 1992; 30 anos é o tempo que separa a primeira da última vitória de Kelly Slater, o ???? do surf

CT 2023

O Billabong Pro Pipeline abre o World Surf League (WSL) Championship Tour (CT) 2023 na ilha de Oahu, no Havaí.

A seleção brasileira está pronta para buscar o heptacampeonato mundial esse ano. Nas oito últimas temporadas, o Brasil conquistou seis títulos, desde o primeiro em 2014 com o hoje tricampeão Gabriel Medina, até o sexto em 2022 com Filipe Toledo.

Os três últimos foram decididos em finais 100% verde-amarelas e o Brasil vem dominando o topo do ranking. O primeiro desafio de 2023 é nos tubos de Banzai Pipeline e as dez etapas serão transmitidas ao vivo pelo WorldSurfLeague.com e pelos canais SporTV.

Depois do camisa 10 da seleção brasileira, Gabriel Medina, conquistar o primeiro título do Brasil em 2014, Adriano de Souza foi o campeão em 2015 e venceu a primeira final verde-amarela em Pipeline, com Medina.

A primeira vitória do fenômeno no Pipe Masters veio em 2018, quando ganhou seu segundo título mundial. O de 2019 foi decidido em outra final brasileira nos tubos de Pipeline e Italo Ferreira se sagrou campeão, derrotando Medina na bateria que bateu todos os recordes de audiência na transmissão ao vivo.

Tatiana Weston-Webb no Billabong Pro Pipeline, em 2022 . Foto Brent Bielmann/World Surf League
Sobre o autor

Origem Surf

Janaína Pedroso surfa há 21 anos. É formada em Comunicação Social/Jornalismo, com especialização em Roteiro para TV, Teatro e Cinema. Já atuou como apresentadora com passagens pela Globo, Band e CNT e como repórter para Editora Trip. Atualmente divide seu tempo entre a maternidade, o surfe, a produção de textos e à frente da empresa de comunicação Origem Press.

Postagens relacionadas
Surfar traz felicidade aponta estudo recente

Surfar traz felicidade aponta estudo recente

Surfar traz felicidade, isso é o que mostra estudo recente elaborado por pesquisadores da Universidade de Bristol, em parceria com The Wave; envolvendo mais de 1300 surfistas. Os resultados foram divulgados em um relatório que contem dados interessantes sobre...

J-Bay Classic reúne veteranos em evento especial

J-Bay Classic reúne veteranos em evento especial

Um seleto grupo de convidados chegou a Jeffreys Bay para o J-Bay Classic da World Surf League (WSL) apresentado pela Corona Specialty, que ocorre de 17 a 23 de junho de 2024. Entre os convidados estão Adriano de Souza, Mark Occhilupo, Stephanie Gilmore, Coco Ho e...

0 comentários

inscrição feita!

Pin It on Pinterest