Home > Destaque > Tahiti Pro 2023: evento começa com mulheres em mar fraco

Tahiti Pro 2023: evento começa com mulheres em mar fraco

por | ago 11, 2023 | Destaque

Está no ar mais uma etapa de surf mundial, o Tahiti Pro 2023, e dessa vez o palco oferece as ondas mais temíveis (ou uma das) do planeta! Teahupoo, (praia dos crânios quebrados), começou fazendo vítimas antes mesmo do evento começar. Com ondas belíssimas e todo o poder da Natureza sendo demonstrado através de formações enormes e perfeitas, dois atletas deram adeus ao evento.

Ethan Ewing e Bettylou Sakura Johnson nem tiveram a chance de competir e se ausentaram do evento devido a lesões. Sakura machucou o ombro e Ethan teve duas fraturas nas costas (vértebras L3 e L4). Dois surfistas locais substituem os atletas: Mihimana Braye e Aelan Vaast. 

Diferente da qualidade de ondas apresentadas nos trials, o evento Tahiti Pro 2023, apresentado pela Shiseido, mostra condições muito aquém das esperadas espetaculares ondas, com tubos profundos e assustadores!

Previsão Tahiti Pro 2023

Aliás, a previsão mostra que mar bom mesmo foi o apresentado antes do início do evento, e os espectadores podem baixar as expectativas para o Tahiti Pro 2023. De acordo com a previsão, os maiores dias de onda serão terça e quarta da semana que vem.

tahiti pro 2023
Johanne Defay no Elimination Round doTahiti Pro de 2022. Damien Poullenot/World Surf League.

A situação dos brasileiros no ranking

Nenhuma brasileira tem chance de um título mundial. Já entre os homens, são quatro. Lembrando que a brasileira Tatiana Weston-webb já está classificada para as Olimpíadas de 2024, mas não tem mais chances de participar da grande final.

Filipe Toledo é líder do ranking e com essa previsão de ondas o brasileiro deve ficar confortável. A saída inesperada de Ethan, que atualmente está em segundo na colocação geral, deve acarretar em ausência da grande final. Apesar de ainda não haver nenhum comunicado oficial que garanta a não participação do surfista no evento.

João Chianca e Yago Dora são, neste momento, os dois outros brasileiros mais bem posicionados na corrida ao título. Ambos ocupam a quarta e quinta colocação respectivamente.

Medina vem na sequência em sexto, e claro, tudo pode e deve mudar após essa etapa que é decisiva. Afinal, após Teahupoo o jogo zera e os 5 melhores do ranking vão para a grande final. 

tahiti pro 2023
Atual líder do ranking, Carissa Moore no Tahiti Pro do ano passado. Damien Poullenot/World Surf League.

Sobre o autor

Origem Surf

Janaína Pedroso surfa há 21 anos. É formada em Comunicação Social/Jornalismo, com especialização em Roteiro para TV, Teatro e Cinema. Já atuou como apresentadora com passagens pela Globo, Band e CNT e como repórter para Editora Trip. Atualmente divide seu tempo entre a maternidade, o surfe, a produção de textos e à frente da empresa de comunicação Origem Press.

Postagens relacionadas
Surf de Yago faz Brasil retomar esperança de título mundial

Surf de Yago faz Brasil retomar esperança de título mundial

O surf de Yago brilhou em El Salvador. A etapa Surf City El Salvador Pro finalizada ontem, 09, mostrou que o Brasil está na briga por mais um título mundial. Apesar da vitória de John John Florence, os brasileiros Yago Dora, vice-campeão, e Gabriel Medina avançaram no...

A história por trás de um viral emblemático do surf

A história por trás de um viral emblemático do surf

A internet trouxe com ela alguns fenômenos e um deles é sem dúvida o viral, aquele vídeo ou foto que viraliza, e alimenta o algorítimo em escalas montanhosas; e o surf também surfa a onda. Quanto mais visualizações, mais o bicho ganha tração. No surf há inúmeras...

0 comentários

inscrição feita!

Pin It on Pinterest