A etapa histórica do circuito QS 1000, da WSL Latin America, realizada na piscina de ondas Wavegarden, da Praia da Grama, em Itupeva (SP), coroou Sophia Medina e Miguel Pupo

O evento, no interior paulista, reuniu nomes como o campeão mundial Adriano de Souza, além de Deivid Silva e Miguel Pupo que retornarão ao CT no ano que vem e que disputaram a grande final na Grama. Alex Ribeiro, que já fez parte da elite, assim como Ian Gouveia, também brilharam por lá. Italo Ferreira não competiu, mas conferiu o evento que certamente marca a história do surf de competição no Brasil e no mundo. José Francisco, o Fininho, também foi visto por lá se divertindo em sua estreia na Praia da Grama.

Edgard Groggia em sua participação na quinta etapa do Circuito Banco do Brasil de Surfe 2023. Foto WSL/Daniel Smorigo.

Entre as mulheres, o show foi comandado por Tainá Hinckel, líder do ranking, que apesar da pouca idade (20 anos) acumula anos de competição; Sophia Medina, irmã do tricampeão mundial, com quem Hinckel disputou a final e a atual revelação do surf feminino, Laura Raupp. Além de Luara Mandelli, Juliana dos Santos e outros talentos.

“Quero glorificar o nome de Jesus, ele que me dá a graça para treinar”, diz Sophia Medina, evangélica fervorosa e vencedora da etapa na Praia da Grama, QS 1000 pontos.

Sophia Medina, campeã da etapa e vice líder do ranking QS South America. Foto WSL/Daniel Smorigo.

Na categoria masculina, a final ficou por conta de dois gigantes: Miguel Pupo e Deivid Silva, os dois paulistas, um de São Sebastião e outro de Guarujá, respectivamente, foram responsáveis por fazer do evento um verdadeiro show de entretenimento.

“Estou tão cansado que não consigo nem ficar feliz”, diz Miguel Pupo após vencer a quinta etapa do Circuito Banco do Brasil de Surfe 2023.

Primeiro dia do Circuito Banco do Brasil de Surfe 2023 – treinos e coletiva de imprensa

No primeiro dia do evento, 30, a WSL Latin America, Praia da Grama e Banco do Brasil receberam os competidores para treinarem e se habituarem com a onda artificial. Uma das críticas a respeito da competição ser sediada em piscina de ondas era justamente a falta de familiaridade de alguns atletas.

Para não deixar dúvida, todos os atletas tiveram tempo para se habituarem com a tecnologia.

Tainá Hinckel, finalista e que nunca tinha surfado lá, precisou de poucas ondas para sentir as diferenças e adaptar equipamentos e dinâmica caso necessário.

“É irada (a onda), adorei! Não senti muita diferença. Estou só com uma prancha um pouco menor”, contou a atleta, enquanto devorava um lanche de pão integral com queijo, entre uma sessão e outra. “Estou morrendo de fome, desculpe”, disse ela engolindo o sanduíche com pressa e indo em direção às ondas perfeitas.

Na coletiva de imprensa, Tainá e Ian Gouveia, os líderes do ranking, responderam às perguntas dos jornalistas. Ivan Martinho, CEO da WSL Latin America e João Amorim, presidente da Praia da Grama também estavam presentes.

Ivan Martinho fez questão de lembrar sobre a motivação por trás da realização da etapa na Fazenda da Grama. “Para nós, é um sonho fazer esse evento. A WSL tem uma tecnologia própria, que é o Surf Ranch na Califórnia, mas bastante tempo atrás, a gente começou a discutir sobre a hipótese de levar nossos eventos também para outras tecnologias, como a Wavegarden aqui.”

Já Amorim manifestou a alegria em receber todos no condomínio localizado em Itupeva, a cerca de 70 km da capital paulista. “É muito importante concretizar o sonho que nasceu em 2018, com uma praia exuberante, artificial, mas com areia de verdade, coqueiro de verdade, o coco é de verdade, hoje sediando um evento dessa magnitude.”

Líderes do ranking, Tainá Hinkel e Ian Gouveia, durante coletiva de imprensa. Foto WSL/Daniel Smorigo.

Formato da competição

Para realizar o evento, o número de participantes foi limitado a 48 homens e 24 mulheres. No primeiro evento da história do QS numa piscina de ondas na América Latina, os competidores foram divididos em duas rodadas de baterias formadas por quatro surfistas. Todos tiveram direito de surfar até 4 ondas (pontuava as duas melhores). As primeiras e segundas colocações avançavam para a fase seguinte. Nas quartas de final, cada surfista teve direito a 5 ondas, e nas semis e finais foram 3 ondas em cada lado da piscina, esquerda e direita.

Antes da grande final

Laura Raupp brilhou no primeiro dia do evento. A surfista que dividia a liderança do circuito com Tainá, comentou a realização da etapa e sua estratégia para avançar para o segundo e último dia de competições. “É uma oportunidade única, com certeza. É muito interessante esse formato e estou superfeliz em estar aqui aproveitando disso tudo.”

Entre os homens, o destaque do primeiro dia de baterias foi disputado. Mas brilhou Edgard Groggia com um belo aéreo e maior nota somando 15,17. Além dele, DVD deu o que falar e fez bonito com somatório de 16,16 na quinta e última etapa do Circuito Banco do Brasil de Surfe 2023.

Line up da Praia da Grama. Foto WSL/Daniel Smorigo.