Primeiramente, aos que esperam de mim alguma atualidade, desculpo-me. Mas rejeito a ideia de perder meu tempo precioso para escrever sobre pseudos ídolos sem vacina. Portanto, hoje trago minha percepção sobre a leitura da biografia de Rico de Souza. Não quero dizer que a biografia de Rico de Souza é leitura obrigatória para qualquer surfista, mas direi. Além da riqueza cultural que a obra transmite, por meio dos relatos pessoais do biografado, o livro é de uma leveza ímpar.

por Janaína Pedroso

Capítulos permeados por fatos marcantes como o dia em que Rico surfou com a Tocha Olímpica e a maneira como ele encarou o desafio, com tremenda responsabilidade. Até a experiência de fugir da repressão policial na Ditadura, que por muito pouco não alterou de vez a história dele e por que não do surfe brasileiro. São muitos os capítulos que empolgam.

A biografia de Rico de Souza é uma incrível oportunidade de conhecer melhor o grande ícone nacional, que diferente de tantos outros ícones, está vivinho da silva, ativo e construindo mais e mais história.

Dito isso, se há então um único defeito neste livro, refere-se ao fato de que talvez daqui a alguns anos e novas conquistas e vivências de Rico, uma nova biografia seja necessária.