Home > Ambiente > Cresce número de golfinhos mortos no litoral norte paulista

Cresce número de golfinhos mortos no litoral norte paulista

por | jan 6, 2023 | Ambiente, Destaque

Em 2022, Instituto Argonauta atendeu mais de mil ocorrências no litoral norte envolvendo animais marinhos. Entre os mamíferos, o golfinho mais ameaçado do Brasil, a toninha (Pontoporia blainvillei), lidera o ranking

O Instituto Argonauta aponta aumento no número de golfinhos mortos no litoral norte paulista (Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião e Ubatuba), como mostra último balanço divulgado.

Foram mais de sessenta atendimentos envolvendo animais mortos da espécie Pontoporia blainvillei, popularmente conhecida como toninha. É o maior número de ocorrências contabilizado pela instituição nos últimos 5 anos.

As toninhas (Pontoporia blainvillei) – espécie de golfinho mais ameaçada do Brasil, classificada como espécie vulnerável pela Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas de Extinção, da IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza) e como “criticamente em perigo” pelo Ministério do Meio Ambiente do Brasil (Portaria 148/2022).

“As toninhas são reconhecidas por serem um dos menores golfinhos do mundo e vivem cerca de 21 anos. Por viverem perto da costa, acabam tendo uma forte interação com a pesca. A poluição marinha também é uma forte ameaça que afeta as toninhas, pois muitas morrem com a presença de diversos resíduos gerados pelo homem em seus estômagos”, explica a bióloga Carla Beatriz Barbosa, coordenadora do PMP-BS no trecho 10 do Instituto Argonauta.

Seguindo o “ranking” do grupo de mamíferos marinhos, o maior atendimento contabilizado pelo Instituto Argonauta neste ano depois das toninhas, foi do boto-cinza (Sotalia guianensis); seguido por golfinho-pintado-do-atlântico (Stenella frontalis), baleia-jubarte (Megaptera novaeangliae) e, por fim, o golfinho-comum (Delphinus delphis).

Imagem triste

Apesar da imagem desse post não ter sido captada em 2022, ano que registra o recorde de número de Golfinhos mortos no Litoral Norte de São Paulo, de acordo com o Instituto, a foto ilustra uma das cenas mais tristes que vivi durante o período em que trabalhei à frente da comunicação do Argonauta.

Foto tirada em 2017 quando trabalhei no Instituto Argonauta. Crédito Janaína Pedroso.
Sobre o autor

Origem Surf

Janaína Pedroso surfa há 21 anos. É formada em Comunicação Social/Jornalismo, com especialização em Roteiro para TV, Teatro e Cinema. Já atuou como apresentadora com passagens pela Globo, Band e CNT e como repórter para Editora Trip. Atualmente divide seu tempo entre a maternidade, o surfe, a produção de textos e à frente da empresa de comunicação Origem Press.

Postagens relacionadas
Layback Pro Prainha é a próxima atração da WSL no Rio

Layback Pro Prainha é a próxima atração da WSL no Rio

O Layback Pro Prainha, quarta etapa da temporada 2024/2025 da WSL South America, ocorre de 11 a 14 de julho na Prainha, Rio de Janeiro. Com transmissão ao vivo pelo site da liga, a etapa marca o sétimo campeonato promovido pela marca Layback, desde 2021. Laura Raupp e...

0 comentários

inscrição feita!

Pin It on Pinterest