Home > Destaque > Em El Salvador, Medina fala sobre possível punição 

Em El Salvador, Medina fala sobre possível punição 

por | jun 1, 2023 | Destaque

Gabriel Medina está em El Salvador, ao lado de outras centenas de surfistas, de várias partes do mundo, para a corrida classificatória rumo às próximas olimpíadas. 

Disputados nas ondas de Teahupoo, pico que Medina é especialista, os Jogos Olímpicos de Paris 2024, já tem alguns surfistas classificados. Mas, diferente de Tatiana Weston-Webb, por exemplo, com vaga garantida, a maioria ainda busca pela classificação.

Show de aéreos e questionamentos da imprensa internacional

Gabriel Medina fez excelente somatório no evento 2023 Surf City El Salvador ISA World Surfing Games (WSG), que está sendo trasmitido ao vivo, pelo site oficial das Olimpíadas https://olympics.com/ e no YouTube da ISA.

Depois de uma série de aéreos, Gabriel Medina foi questionado pela imprensa internacional, sobre provável punição que o atleta correria o risco de receber, após ter se manifestado depois do fatídico Surf Ranch.

Pelo Instagram, que conta com mais de 11 milhões de seguidores, Gabriel Medina falou sobre a frustração de ter sua performance subjulgada nas ondas artificiais da piscina do Kelly.

Jornalista do site Duke, mídia especializada em surf, questionou Medina sobre o ocorrido. “O que você achou do impacto causado pelo seu post no Instagram?”, indaga o jornalista. “Eu já falei o que tinha que falar”, respondeu o surfista.

Visivelmente incomodado com os questionamentos do repórter, que também pergunta se Gabriel viu a carta do CEO da WSL, Erick Logan, Medina respondeu que sua posição permanece a mesma.

Sobre uma possível punição que foi levantada após as palavras do CEO da Liga conforme escreveu: “Não é apropriado, e é uma violação a política da liga, que os surfistas optem por não se envolver com o processo adequado e, em vez disso, expor suas queixas nas redes sociais”; Gabriel Medina disse não ter ideia se isso de fato ocorrerá.

Onde assistir o ISA Games de El Salvador

O evento classificatórios para as Olimpíadas de 2024, disputada em Paris, mas que terá para o surf as ondas de Teahupoo, Taiti, como palco, está sendo transmitido ao vivo, pelo site oficial das Olimpiadas e da ISA. No site das Olimpíadas é preciso se inscrever para ter acesso à transmissão, já pela ISA a trasmissão é aberta e ocorre no YouTube.

Siga Origem Surf no instagram 🙂

Medina voa alto em El Salvador. Credito ISA / Sean Evans

Confira o bate e rebate do caso Surf Ranch:

As palavras de Medina

Caro WSL,

Por favor, entenda a importância desta discussão.

O surf é a minha vida, e meu amor por este esporte é incondicional. Surfo com paixão e pretendo deixar um belo legado quando olhar para trás um dia.

No entanto, a comunidade do surfe, especialmente a brasileira, está estarrecida com a falta de clareza e inconsistência na definição das notas já há muitos anos, mas ultimamente isso tem sido ainda mais chocante.

Está claro que a avaliação dos juízes está agora recompensando um surfe muito simples, transições incompletas e PROGRESSÃO e VARIEDADE está sendo completamente retirada da equação. Isso é muito frustrante e ameaça o crescimento do esporte.

Fãs e patrocinadores não aceitarão que isso continue e, em um futuro próximo, acabarão se afastando, uma vez que esperam um julgamento igual e justo para o esporte.

Também é importante observar que muitos treinadores tiveram a oportunidade de falar com a WSL após as baterias/etapas para discutir sobre PROGRESSÃO e VARIEDADE nos critérios e a falta de valorização para as manobras. O retorno recebido é sempre bastante defensivo, com exemplos ruins para ilustrar seus argumentos.

A WSL precisa urgentemente esclarecer seus critérios e aplicar um julgamento justo para preservar a evolução do esporte.

Obrigado,
Gabriel Medina e todo Brasil ???????? .

O comunicado da WSL

NOTA DE ESCLARECIMENTO DA WSL

Estamos comprometidos em continuar trabalhando para o crescimento do esporte no Brasil, apoiando nossos surfistas, fãs e staff por meio de eventos, parcerias e engajamento com a comunidade. A WSL existe para apresentar os melhores surfistas do mundo competindo nas melhores ondas do mundo.

Integridade e justiça são fundamentais em tudo o que fazemos. Nas competições da WSL, um painel de cinco juízes e um head judge avaliam cada onda de forma independente. Eles analisam todas as ondas em tempo real e é utilizado um sistema de replay dedicado, com ângulos de câmera adicionais além do que os fãs veem na transmissão.

Os competidores recebem os critérios de julgamento antes de cada dia de competição, descrevendo as diretrizes de pontuação com base no local da etapa e nas condições das ondas. O surf é um esporte subjetivo em constante evolução e encorajamos um debate construtivo sobre a progressão do nosso esporte e os critérios usados para julgar nossas competições.

Para o Surf Ranch Pro, os critérios de julgamento foram fornecidos a todos os surfistas no dia 20 de maio, antes dos dias de treino e da competição. Todos os competidores tiveram a oportunidade de discutir os critérios antes da competição e após suas baterias com a equipe de Tours e Competições.

Iremos manter nosso trabalho de comunicação para sempre aprimorar o esporte e a transparência entre os juízes, atletas e regras de competição para que todos possam fortalecer o crescimento exponencial do surfe profissional no Brasil e no mundo.

World Surf League

A carta de Erick Logan, CEO da WSL

Para a comunidade WSL,

Quero abordar a conversa que aconteceu em nossa comunidade após o recente evento do Championship Tour no Surf Ranch. Como você provavelmente sabe, um pequeno número de atletas fez declarações questionando o julgamento da competição e os resultados finais.

Quero responder diretamente a essas declarações, mas primeiro precisamos abordar uma questão muito mais importante. Nos últimos dias, vários surfistas, juízes da WSL e funcionários foram vítimas de assédio, intimidação e ameaças de violência, incluindo ameaças de morte como resultado direto dessas declarações. Essas coisas nunca deveriam acontecer em nosso esporte, ou em qualquer esporte, e estamos arrasados com o fato de membros de nossa comunidade estarem sujeitos a isso. É um lembrete importante para todos nós de que as palavras têm consequências. Esperamos que toda a comunidade da WSL esteja conosco na rejeição de todas as formas de assédio e intimidação.

Em termos das declarações feitas, rejeitamos completamente a sugestão de que o julgamento de nossas competições seja de alguma forma injusto ou preconceituoso. Essas alegações não são apoiadas por nenhuma evidência. Primeiramente, os critérios de julgamento são fornecidos aos atletas antes de cada competição. Todos os atletas que competiram no Surf Ranch Pro receberam esses materiais no dia 20 de maio. Todos os atletas tiveram a oportunidade de tirar dúvidas sobre os critérios na ocasião. Nenhum dos atletas que fizeram essas declarações, aproveitou essa oportunidade no Surf Ranch Pro.

Em segundo lugar, nossas regras permitem que qualquer atleta revise a nota de qualquer onda e receba uma explicação mais detalhada de como foram pontuadas pelos juízes. Esse processo existe há vários anos e é o resultado direto do trabalho com os surfistas, para trazer mais transparência ao processo de julgamento. Não é apropriado, e é uma violação da política da liga, que os surfistas optem por não se envolver com o processo adequado e, em vez disso, expor suas queixas nas redes sociais.

Vários atletas do Surf Ranch Pro receberam pontos por elementos como progressão e variedade, então é simplesmente incorreto sugerir que eles não sejam levados em consideração nos critérios de julgamento. Além disso, nossas regras foram aplicadas de forma consistente ao longo da temporada, inclusive em eventos que foram vencidos por atletas que agora questionam essas mesmas regras.

O surfe é um esporte com critérios subjetivos em constante evolução e damos boas-vindas a um debate robusto sobre a progressão do nosso esporte e os critérios usados para julgar nossas competições. Porém, é inadmissível que qualquer atleta questione a integridade de nossos juízes que, assim como nossos surfistas, são profissionais de elite. Nenhuma pessoa ou grupo de pessoas está acima da integridade do esporte.

Sinceramente,
Erik Logan
WSL Chief Executive Officer

Sobre o autor

Origem Surf

Janaína Pedroso surfa há 21 anos. É formada em Comunicação Social/Jornalismo, com especialização em Roteiro para TV, Teatro e Cinema. Já atuou como apresentadora com passagens pela Globo, Band e CNT e como repórter para Editora Trip. Atualmente divide seu tempo entre a maternidade, o surfe, a produção de textos e à frente da empresa de comunicação Origem Press.

Postagens relacionadas
Surf de Yago faz Brasil retomar esperança de título mundial

Surf de Yago faz Brasil retomar esperança de título mundial

O surf de Yago brilhou em El Salvador. A etapa Surf City El Salvador Pro finalizada ontem, 09, mostrou que o Brasil está na briga por mais um título mundial. Apesar da vitória de John John Florence, os brasileiros Yago Dora, vice-campeão, e Gabriel Medina avançaram no...

A história por trás de um viral emblemático do surf

A história por trás de um viral emblemático do surf

A internet trouxe com ela alguns fenômenos e um deles é sem dúvida o viral, aquele vídeo ou foto que viraliza, e alimenta o algorítimo em escalas montanhosas; e o surf também surfa a onda. Quanto mais visualizações, mais o bicho ganha tração. No surf há inúmeras...

Como o surf tem me salvado esses dias

Como o surf tem me salvado esses dias

Uma folha em branco, um nó na garganta, uma vontade de chorar, medo. As cenas do RS são de entristecer qualquer um. Não bastasse a violência das águas que varreram de casas a corpos, dias após a tragédia, as cenas são ainda mais devastadoras. Crianças sem pais em...

0 comentários

inscrição feita!

Pin It on Pinterest