Maya Gabeira, Lucas Chumbo e Pedro Scooby conquistam títulos em Nazaré, durante evento com ondas gigantes e performances impressionantes. O  TUDOR Nazaré Big Wave Challenge reuniu bigriders para competir em condições clássicas, o desafio de ondas gigantes promovido pela World Surf League (WSL).

Entre as mulheres, a representatividade brasileira no mundial de Nazaré foi de 100% uma vez que as duas únicas surfistas do evento eram do Brasil. Maya Gabeira e Michelle des Bouillons deram um show de surf e atitude. Na disputa, Maya se deu melhor, totalizando 14 pontos que lhe garantiram a vitória.

Maya Gabeira vence  Mundial de Ondas Gigantes da WSL em Nazaré. Foto Damien Poullenot/World Surf League

Os brasileiros Lucas Chumbo e Pedro Scooby faturaram o título de Melhor Dupla; além disso, Chumbo garantiu também o título melhor performance masculina.

Lucas Chumbo repetiu o feito do último ano ao conquistar novamente o título individual e por equipes no campeonato de ondas gigantes de Nazaré, um desempenho que já havia sido observado quando se uniu a Kai Lenny. Contudo, nesta edição, a ausência do havaiano Lenny, impedido de competir por uma lesão, levou à formação de uma dupla inteiramente brasileira com Pedro Scooby, carioca. Com essa nova parceria, Chumbo elevou para cinco o número de títulos conquistados neste prestigiado evento.

Brasil e o domínnio no mundial de Nazaré

A sinergia entre Chumbo e Scooby foi evidente, com Scooby pilotando o jet-ski e posicionando Chumbo nas ondas ideais, o que permitiu a Chumbo registrar as duas maiores pontuações do torneio: 7,83 em sua primeira bateria e 7,67 na seguinte.

No TUDOR Nazaré Big Wave Challenge, o uso do jet-ski é essencial para que os surfistas possam acessar as ondas. Cada membro da dupla deve alternar entre surfar e pilotar o jet-ski, com as duas maiores notas de cada um nas duas baterias sendo consideradas para a pontuação final. Além disso, a maior nota de cada surfista é dobrada, permitindo que um competidor alcance até 30 pontos individualmente e a dupla, 60 pontos no total. Neste contexto, Chumbo assegurou o título individual com 23,33 pontos, enquanto Scooby contribuiu com 17,83 pontos, consolidando a vitória da equipe com um total de 41,16 pontos. Importante mencionar que Pedro Scooby estava enfermo e aceitou o convite de Lucas Chianca para competir praticamente em cima da hora.

Maya, Lucas e Pedro vencem mundial da WSL em Nazaré. Fotos Damien Poullenot/World Surf League