Home > Notícias > Xandi Fontes, diretor geral da WSL na América do Sul, faz desabafo!

Xandi Fontes, diretor geral da WSL na América do Sul, faz desabafo!

por | out 13, 2017 | Notícias | 2 Comentários

 “É inadmissível que o Brasil, com o potencial que tem de atletas, eventos e fãs no surfe masculino, não tenha isso também no feminino. Uma das diretrizes da World Surf League é para que os escritórios regionais fomentem a realização de mais eventos para as meninas, desde a base com a categoria Pro Junior. Precisamos de mais etapas com status QS 1000, QS 1500, QS 3000, para que novas surfistas conquistem pontos para participar dos eventos mais importantes, os QS 6000 e QS 10000, que decidem as vagas para o CT”. Xandi Fontes, diretor geral da WSL na América do Sul.

Sobre o autor

Origem Surf

Janaína Pedroso surfa há 21 anos. É formada em Comunicação Social/Jornalismo, com especialização em Roteiro para TV, Teatro e Cinema. Já atuou como apresentadora com passagens pela Globo, Band e CNT e como repórter para Editora Trip. Atualmente divide seu tempo entre a maternidade, o surfe, a produção de textos e à frente da empresa de comunicação Origem Press.

Postagens relacionadas
Onde assistir o ISA World Surfing Games 2024

Onde assistir o ISA World Surfing Games 2024

Saiba onde assistir ao ISA World Surfing Games que promete ser um dos eventos mais empolgantes do ano para os fãs do surf, reunindo os melhores atletas do mundo em uma competição que não só celebra o esporte, mas também oferece as últimas vagas para os Jogos Olímpicos...

ISA 2024: caminho para Olimpíadas e sustentabilidade em foco

ISA 2024: caminho para Olimpíadas e sustentabilidade em foco

Os Jogos Mundiais de Surf da ISA de 2024 prometem ser um marco no calendário esportivo global, reunindo os principais talentos do surf em busca de uma vaga nas Olimpíadas de Paris 2024. O evento, agendado para ocorrer de 23 de fevereiro a 3 de março, será realizado...

Mulheres brilham em condições clássicas no Hurley Pro Sunset Beach

Mulheres brilham em condições clássicas no Hurley Pro Sunset Beach

Ondas altas e performances belíssimas marcaram a estreia da categoria feminina no Hurley Pro Sunset Beach, a segunda etapa do calendário do Championship Tour (CT) da WSL. A líder do ranking, Caity Simmers, teve que se esforçar para se manter na competição. Com uma...

2 Comentários

  1. Glauco

    Vamos ser realistas, somente quando o surf voltar a ditar moda, poderemos ter investidores no setor! Por sermos tão descolados do mundo capitalista e de certa forma puritans, deixamos escapar a grande oportunidade de lucrar com o sistema.

    • Origem - O Blog do Surfe!

      Oi, Glauco.
      Vamos ter que discordar em alguns pontos… O surfe, na minha visão, nunca esteve tão “na moda”. Depois de anos sendo subjugados de vagabundos e maconheiros, hoje finalmente, o surfe virou “cool” no Brasil.
      Por outro lado, nos últimos anos empresários que faturam com o esporte estão a quilômetros de distância das praias…Cara, é uma discussão pra ficarmos aqui por muito tempo debatendo… Mas, sobre o surfe feminino, com certeza o que pega é o machismo e o preconceito. E claro, esses velhotes das federações, que não largam o “osso” e veem as mulheres como um estorvo nas competições. Enquanto as meninas dependerem desses caras pra ter evento vão ficar chupando o dedo.

      Muito obrigada pelo coment! Gostaria que mais pessoas como vc interagissem conosco!!
      Valeu, Glauco!! E até a próxima!
      Bj
      JP

inscrição feita!

Pin It on Pinterest