Sou daquelas que acredita em karma. Quando mato uma formiga penso imediatamente na possibilidade de cedo ou tarde ser culpada por isso. 

O problema é que quando a gente projeta o ‘erro’ no futuro, neste caso uma nova encarnação (veja que absurdo), age-se como se nada de ruim acontecesse. E de fato não acontece. A não ser, no meu caso, sentir culpa (Deus até por isso!).

Mas enfim, se por um lado matar formiga não vai me levar pro inferno ou fazer encarnar num burro, quando jogo uma PET no lixo, sinto que vivo um minuto a menos. 

Quando penso que poluímos a ponto de elevar a temperatura dos Oceanos comprometendo um zilhão de vidas e ecossistemas, ou quando consumimos feito loucos. E quando os produtos que consumimos feito loucos acarretam em incontáveis prejuízos, e neste caso não só ambientais, mas sociais? Mano, não há karma que dê conta.

Eu não quero te pôr pra baixo, tá, não é isso. Coisas muito piores já rolaram nesses ‘mili anos’ de humanidade. Eu quero na verdade te dizer que talvez as coisas nunca foram tão oportunas como hoje. Porque hoje dá pra escolher. Dá pra comer menos carne, dá pra reciclar, dá pra consumir do pequeno, do médio, do empreendedor. Dá pra se ligar em quem está na mesma sintonia, do lado da ciência, dos Oceanos.

Coral Safe

A Australian Gold, por exemplo, passou a fazer testes na França para garantir que seus protetores não agredissem os corais. Afinal a ‘ecotoxidade’ em corais não está relacionada somente à temperatura, mas aditivos químicos que depositamos todos os minutos, toda vez que alguém decide passar um filtro solar e dá um simples mergulho.

Andrezza Canavez, gerente de segurança de produtos e métodos alternativos do Grupo Boticário, explica que há critérios importantes para que os resultados destes testes, que garantem a segurança da vida dos corais, sejam efetivos. “Os testes foram feitos em laboratório francês, em condições ambientais e com a formulação acabada”, diz Canavez.

A profissional também faz questão de mencionar que a forma assexuada de reprodução dos organismos garante a integridade do selo ‘cruelty free’

Desde 2017, e pela primeira vez, os produtos da Australian Gold são fabricados fora dos Estados Unidos. A produção brasileira é de responsabilidade da Multi B, empresa do Grupo O Boticário. Dá pra sentir na equipe a satisfação por fazer parte de um projeto comprometido. 

Além de iniciativas como esta, hoje existem diversos filtros que apostam em bloqueio físico e ingredientes não tóxicos. Basta uma pequena mudança de comportamento.

Ecotoxidade em Corais

A tendência, impulsionada pela urgência em preservar a saúde dos Oceanos e mais recentemente dos corais, tem forçado empresas de diversos ramos, e especialmente de cosméticos a optarem por alternativas seguras ao ambiente.

Na esteira do “cruelty free” motivado especialmente pelo veganismo, hoje fala-se em ‘ecotoxidade’ nos produtos de beleza.

Embora danos aos corais estejam majoritariamente relacionados às mudanças climáticas e ações decorrentes dessas transformações, como a acidificação dos oceanos, por exemplo, estudos científicos já comprovam que diversos químicos utilizados na indústria cosmética são nocivos à saúde humana e ambiental.

Branqueamento dos Corais

O branqueamento dos corais refere-se à perda de coloração dos organismos, e resulta na morte dos mesmos, e está relacionado ao aquecimento da temperatura dos oceanos e à incidência de químicos e outras substâncias na água.

A jornalista e doutora Carolina Lisboa, revelou em matéria publicada no site ECO, dados alarmantes sobre a morte dos corais.

De acordo com Pedro Henrique C. Pereira, pesquisador do projeto Águas Marinhas e Costeiras Protegidas (GEF Mar) e membro da equipe do ICMBio Costa dos Corais, o cenário atual corresponde ao pior evento de branqueamento dos últimos 35 anos.

“Esse ano ocorreu o maior aquecimento das águas da APA desde 1985. Registramos mortes de até 70% para Millepora braziliensis (coral-de-fogo) e de 40% para Mussismilia hartii (coral-cérebro), espécie ameaçada de extinção”, diz.

Então, agora eu refaço a pergunta: quantos corais você pretende salvar na vida?