A imagem que invadiu meu zap hoje foi Bolsonaro, Teco Padaratz e executivos do Banco do Brasil segurando uma prancha de surfe. 

Até aí, nada de novo, já que a prática é antiga. De Collor a Lula, outros presidenciáveis já receberam pranchas de surfe em encontros que de alguma forma tentam celebrar parcerias com investimento estatal, entre outras iniciativas.

O texto que traz na manchete: “Bolsonaro ganha prancha de surfe autografada por atleta olímpica”, sequer cita a presença de Flávio ‘Teco’ Padaratz no evento, que inclusive é recém nomeado presidente da Confederação Brasileira de Surf, a CBsurf, em disputa cheia de polêmicas, mas o nome da surfista Silvana Lima, que autografou o regalo a Bolsonaro.

A atleta, que representou o Brasil nas Olimpíadas e é o maior nome do surfe de competição feminino do país, atualmente é patrocinada pelo Banco do Brasil. 

A fala de Fausto Ribeiro, presidente do banco, reproduzida pelo site R7 diz: “Queria convidar aqui para te entregar uma prancha autografada por um (sic) de nossos atletas, a Silvana Lima”. 

Em clima de véspera de eleição, e com a popularidade derretendo, Jair Bolsonaro resolveu mostrar serviço, e na ocasião aprovar o texto do PL que define o Plano Nacional do Desporto. Até aí, tudo certo, não faz mais que a obrigação, já que presidente não serve só pra fazer live, espalhar fake news e campanhas anti-vacinas, não é mesmo?

Por fim, a torcida é para que a atleta saia bem da fogueira na qual foi colocada. Nos bastidores da mídia especializada já se vislumbra um posicionamento de Silvana, que é apontada como eleitora de Jair Bolsonaro. 

A assessora e Silvana não retornaram às tentativas de contato.

Foto de capa Print do Zap