País da América Central recebe pela primeira vez uma etapa da elite. Nove brasileiros buscam título

Das esquerdas de G-Land para as direitas de Punta Roca. Depois de uma etapa na Ilha de Java que não acontecia desde 97, agora, pela primeira vez, atletas e equipe da World Surf League desembarcam em El Salvador para uma etapa do CT. A janela do evento está programada para ocorrer a partir deste domingo, 12, podendo ser finalizada até 20 de junho.

Mais uma vez e até o final do mundial, a Globo (site e aplicativo) transmite até as oitavas e a partir das quartas, a emissora exibe ao vivo no canal a cabo (sportv).

“Os surfistas vão encontrar uma onda de qualidade altíssima que vai exigir muito da parte física Acho que os brasileiros são favoritos”, acredita Alejo Muniz, que participa da transmissão com os narradores Luiz Carlos Jr, Everaldo Marques, Sergio Arenillas e Bruno Fonseca; e os comentaristas Bruno Bocayuva, Diogo Mourão e Claudinha Gonçalves. 

Estreante no calendário do Circuito Mundial de Surfe (CT), El Salvador já teve papel importante na modalidade. Foram nas ondas de Punta Roca que definiram-se os últimos classificados para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Nesta etapa o Brasil estará representado por nove surfistas: Filipe Toledo, líder do ranking; Ítalo Ferreira, Miguel Pupo, Caio Ibelli, Samuel Pupo, Jadson André, Yago Dora e Gabriel Medina.

Entre as mulheres, Tatiana Weston Webb, única representante do país, ocupa o quinto lugar na classificação geral.  

Vale lembrar que John John Florence está fora da disputa. Ele divulgou essa semana por meio das redes que por conta de dores não competirá em El Salvador. Nos bastidores especula-se sobre uma provável ausência do havaiano no resto de toda a temporada de 2022, tirando-o da disputa pelo título.

Por aqui ficam os votos de uma recuperação rápida para o atleta que fará imensa falta nas longas direitas de El Salvador.

Visual aéreo de região em El Salvador. Foto Unplash.