Olá, leitores!

Nunca imaginei que seria tão difícil publicar esse texto ou que sentiria o mesmo frio na barriga que senti quando criei esse espaço. Foram meses de silêncio e nenhuma palavra publicada neste blog desde o último post. Então encaro como certo recomeço…

Não quero alimentar muitas expectativas, mas a verdade é que estou com fôlego renovado e muita esperança para 2023. Inclusive, não vejo a hora de dar adeus à 2022. Você tá assim também, surfista? Que aninho puxado!

Sabe surfistas, andei refletindo bastante e a única certeza que tenho é que não há a menor possibilidade de desistir de um sonho e resgatar a fé nas conquistas ditas impossíveis é, e sempre será, minha meta da vida.

Afinal, surfista, é sonhando que nos movemos; é planejando meios de realizar nossos sonhos malucos que encontramos alegria e ânimo.

E se tem uma coisa que sonho é justamente continuar contribuindo para que o surfe se torne um esporte cada vez mais desenvolvido, por meio do fomento à reflexão acerca de temas ligados à diversidade, equidade e respeito entre surfistas dentro da água.

Com essa missão elevo meus pensamentos. A propósito, sou muito grata aos anos de Folha de S.Paulo onde tive a oportunidade de evoluir profissionalmente. Contudo, agora é de volta às origens, forma independente, como no início, quando em uma madrugada fria de maio coloquei este blog de surfe no ar.

Beijos e boas ondas!

Animação de Lucas Bonini <3