Home > Destaque > Brasil brilha em Bells, mas polêmico julgamento rouba a cena

Brasil brilha em Bells, mas polêmico julgamento rouba a cena

por | mar 27, 2024 | Destaque

A surfista brasileira Tatiana Weston-Webb avançou para as quartas de final do Rip Curl Pro Bells Beach, mas o que rendeu assunto foi o julgamento da bateria de Ethan e George.

O evento ontem, 26, foi realizado na praia de Winkpop, sob condições medianas, com ondas de formação irregular. Apesar disso, as ondas ofereciam paredes suficientes para os surfistas mostrarem suas habilidades. Tatiana enfrentou Luana Silva e saiu vitoriosa.

julgamento em Bells
Julgamento em Bells prejudica George Pittar. Foto WSL / Aaron Hughes

Mas o que realmente agitou os fãs brasileiros que acompanham o Circuito Mundial (CT) foi o erro de julgamento que levou Ethan Ewing ao round 16. O surfista enfrentava George Pittar que ganhava a bateria. Porém, nos últimos segundos, Ewing encontrou uma onda pequena e, sem muita expressão, com uma rasgada de saída e uma finalização pequena conquistou pontos para a virada.

Erros de julgamentos, como o de Bells, não são novidade no surf

Os critérios de julgamento no surf têm sido motivo de debate há tempos. Não apenas nos eventos da World Surf League (WSL), mas em competições diversas, as decisões dos juízes se tornam, com frequência, o centro das atenções.

Houve um tempo em que fãs do Brasil dominavam as reclamações. Para eles, o Brasil era sempre desfavorecido em relação aos competidores da Austrália e dos Estados Unidos.

Mas a verdade é que vez ou outra o julgamento falha, independente da banderia do surfista. O critério subjetivo continua servindo de desculpa para resultados incoerentes e, até agora, nada foi feito para tornar o abstrato mais objetivo e transparente.

Sobre o autor

Origem Surf

Janaína Pedroso surfa há 21 anos. É formada em Comunicação Social/Jornalismo, com especialização em Roteiro para TV, Teatro e Cinema. Já atuou como apresentadora com passagens pela Globo, Band e CNT e como repórter para Editora Trip. Atualmente divide seu tempo entre a maternidade, o surfe, a produção de textos e à frente da empresa de comunicação Origem Press.

Postagens relacionadas
Layback Pro Prainha é a próxima atração da WSL no Rio

Layback Pro Prainha é a próxima atração da WSL no Rio

O Layback Pro Prainha, quarta etapa da temporada 2024/2025 da WSL South America, ocorre de 11 a 14 de julho na Prainha, Rio de Janeiro. Com transmissão ao vivo pelo site da liga, a etapa marca o sétimo campeonato promovido pela marca Layback, desde 2021. Laura Raupp e...

Dream Tour anuncia novo patrocinador master

Dream Tour anuncia novo patrocinador master

Principal circuito nacional de surf, o Dream Tour anuncia a chegada de novo patrocinador master. Aegea patrocinadora principal e Prio detentora dos naming rights das etapas do Espírito Santo e Rio de Janeiro. O Dream Tour também comunica a renovação de patrocinadores...

0 comentários

inscrição feita!

Pin It on Pinterest